Blog

Você sempre ouviu falar que toda água, para ser consumida, deve ser insípida (não ter gosto), incolor (não tem cor) e inodora (não tem cheiro), qualidades de uma água potável.

Entretanto, já deve ter se deparado inúmeras vezes com marcas de águas potáveis com sutis diferenças de sabor entre elas. Isso porque a água é composta de sais minerais que variam em quantidades, que fazem com que se torne uma diferente da outra. Pensando nisso, entramos no assunto deste texto, a dureza da água.

Imagine a seguinte situação: um amigo vai aos Estados Unidos e lá chegando experimenta um shampoo de uma marca que só tem lá e que ele adora: espuma, perfume, maciez… Perfeito!. Ao voltar ao Brasil, este amigo te apresenta o shampoo prometendo ótimos resultados, mas a conseqüência é outra bem diferente do esperado. O que aconteceu?  O shampoo estragou?

Não, a eficácia do produto foi alterada pela dureza da água da região. Isso também pode acontecer com sabão em pó, que em um local funciona muito bem e em outro não.

Quimicamente, águas consideradas duras possuem concentrações de cálcio e de magnésio mais elevadas. Eventualmente, o zinco, estrônico, ferro e alumínio também podem ser levados em conta na aferição da dureza da água.

Cabelos brilhantes? Não é apenas a fórmula do shampoo que dará o resultado esperado.

Uma forma simples de identificar a dureza da água é o teste da espuma. Se o sabão ou pasta de dentes fizer muita espuma na água é porque é água mole. Já o contrário também é válido: para o uso em banho, lavagem de louças e roupas, fazer a barba, lavar o carro e muitos outros usos, a água dura não é tão eficiente como a mole.

É por este motivo que marcas nacionais e internacionais de produtos de limpeza, higiene e bebidas, por exemplo, que desejam se instalar em diferentes regiões do Brasil procuram empresas de pesquisa sensorial que possuem equipamentos de controle de dureza da água.

Esses equipamentos possibilitam testes onde a dureza da água será manipulada. Sendo assim, pode haver variações das sensações dos consumidores em relação ao produto testado. O resultado pode variar muito e por vezes levar, até mesmo, a uma necessidade de adequação da fórmula de região para região ou ser entendido como um diferencial positivo no mercado.