Tag: capacidade olfativa

Os sentidos humanos evocam memórias precisas, entretanto, é o olfato que remete às memórias mais emocionais. Por meio de os aromas e odores o cérebro consegue identificar experiências antigas, como um parque da infância, um brinquedo ou uma comida favorita. Por isso, os aromas exercem influência no estado de espírito das pessoas.

O aroma corresponde a uma parte considerável na decisão de compra dos consumidores. Por esse motivo a pesquisa sensorial trabalha constantemente na busca por soluções que envolvem os cheiros. (mais…)

 

O prazo de validade é o que determina se um alimento deve ou não ser consumido. Ele é responsável também por definir o tempo de vida útil de outros produtos não alimentícios como os cosméticos, por exemplo. Atuando de forma pontual, a análise sensorial é uma importante ferramenta para definir o prazo para que determinado item mantenha suas características sensoriais asseguradas.

Os estudos de tempo de vida de um produto desenvolvidos pela pesquisa sensorial trabalham em fatores que causam alterações ao produto. A análise sensorial colaborará na definição, por exemplo, das condições de armazenamento, transporte e venda de variados itens. (mais…)

Do cheiro à embalagem a pesquisa sensorial na produção de cosméticosA análise sensorial exerce um papel imprescindível para a indústria dos cosméticos. Não existem outros instrumentos de pesquisa que sejam tão eficientes a ponto de substituir os sentidos humanos na avaliação da aceitação dos produtos de higiene e beleza.

As vantagens apresentadas pela pesquisa sensorial permitem identificar a presença ou ausência de diferenças sensoriais perceptíveis, assim como mensurar o quanto os avaliadores (consumidores) que participam da pesquisa gostam ou não de um determinado produto. A partir da análise sensorial é possível destacar algumas importantes características sensoriais de um produto e ainda identificar particularidades. (mais…)

10 curiosidades sobre o olfato

Importante sentido e um dos mais explorados pelo marketing sensorial, o olfato está relacionado à capacidade humana de sentir cheiro. É um sentido que está ligado também ao paladar, já que, sem ele é quase impossível diferenciar os sabores dos alimentos.

Diversas marcas têm usado fragrâncias exclusivas não só para atrair o cliente, mas também para criar um conceito sobre um produto ou serviço.

 (mais…)

O marketing sensorial pode ser o diferencial frente aos concorrentes

O marketing sensorial pode ser o diferencial frente aos concorrentes

 

A estratégia de marketing sensorial já é bastante disseminada ao redor do mundo. A preocupação das grandes marcas em entender o seu público e criar experiências que fidelizam os clientes faz parte de uma prática que se torna cada vez mais comum. Entretanto, engana-se quem acha que explorar os sentidos humanos para atrair consumidores é só para as grandes corporações. O marketing sensorial é uma realidade também das micro e pequenas empresas.

Algumas empresas tendem a desacreditar na capacidade do marketing em alavancar um negócio. Seja pela necessidade de investimento, pesquisa ou até de um profissional especializado, muitos empreendimentos o deixam de lado. Muitos ainda enxergam o marketing como meramente propaganda e não um processo que abrange desde o conceito da marca até as questões organizacionais. (mais…)

Maior quantidade de células na região olfatória da mulher pode justificar melhor desempenho

Maior quantidade de células na região olfatória da mulher pode justificar melhor desempenho

O primeiro sentido desenvolvido em um recém-nascido é o olfato, o sentido responsável por perceber aromas. Seu órgão principal é o nariz e ele possui uma estrutura única nos seres humanos. Porém, uma pesquisa realizada pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) mostrou que as mulheres têm uma capacidade olfativa superior à dos homens. Elas possuem uma capacidade maior de diferenciar aromas graças a características do cérebro.

Ao testarem as regiões cerebrais responsáveis pelo olfato, os estudiosos perceberam que essas eram mais ativadas na mulheres do que nos homens. A explicação é que as mulheres têm uma maior quantidade de células no bulbo olfatório, região cerebral ligada à detecção de cheiros, em relação aos homens. Essas células quando sentem um aroma conectam-se aos neurônios do bulbo olfatório que, por sua vez, acionam células cerebrais relacionadas à memória e interpretação consciente, por exemplo. (mais…)