Tag: cheiros

Um dos grandes problemas no mercado de cosméticos é a perda da eficácia dos produtos, que pode acontecer devido a processos físico-químicos, microbiológicos ou toxicológicos.

A ineficiência do cosmético nesse processo pode causar danos ao consumidor, além de uma grande perda de confiabilidade. Dessa forma, os testes de eficácia durante a análise sensorial são fundamentais para entender as perdas de atributos nesses produtos.

Para se qualificar como eficaz, um produto precisa reunir uma série de qualidades positivas e alcançar resultados esperados. No mundo dos cosméticos existem propriedades relacionadas à eficácia que são naturalmente percebidas pelos usuários. A sensação de hidratação causada por cremes, por exemplo, é facilmente percebida por meio do tato e a visão. (mais…)

Os sentidos humanos evocam memórias precisas, entretanto, é o olfato que remete às memórias mais emocionais. Por meio de os aromas e odores o cérebro consegue identificar experiências antigas, como um parque da infância, um brinquedo ou uma comida favorita. Por isso, os aromas exercem influência no estado de espírito das pessoas.

O aroma corresponde a uma parte considerável na decisão de compra dos consumidores. Por esse motivo a pesquisa sensorial trabalha constantemente na busca por soluções que envolvem os cheiros. (mais…)

0

Estudar a percepção sensorial do consumidor de vários países é essencial para marcas que pretendem expandir seus negócios para além das fronteiras. A percepção é algo complexo e que envolve diversos aspectos a serem considerados como, por exemplo, fatores culturais e sociais.

As diversidades culturais são muito importantes nas relações de consumo e a indústria alimentícia é um grande exemplo disso. Ao comparar a forma como pessoas de diversos países se relacionam com os alimentos é possível observar diferenças consideráveis. (mais…)

0

A indústria têxtil há muito tempo valoriza o sentido da visão no desenvolvimento de seus produtos e ações de marketing. Da exposição na vitrine às propagandas na TV, os produtos são pensados para que a experiência visual atraia o consumidor com foco na estética do produto. Porém, será que esta é a única possibilidade a ser trabalhada por trás da intenção de compra de produtos têxtis?

Alguns estudos já mostram que os consumidores não se preocupam somente com a estética por trás dos produtos ligados ao vestuário, mas sim com o conforto causado por eles. Cada vez mais as decisões de compra se baseiam em outros sentidos e sensações. Por isso, a importância em valorizar outros sentidos. (mais…)

0

Nas últimas décadas as pesquisas de mercado com foco sensorial e o marketing procuram entender o consumo para além da segmentação de mercado e consumo de massa, focando em compreender as percepções e sentimentos dos consumidores, e de que forma os sentidos podem influenciá-los.

Recentemente, uma pesquisa no seguimento de calçados infantis realizada em Jales, cidade do interior de São Paulo, revelou dados interessantes sobre o processo de decisão de compra dos consumidores. Segundo a pesquisa, o sentido que possui maior influência no processo de compra de calçados para crianças é a visão, seguido pelo tato. (mais…)

 

O prazo de validade é o que determina se um alimento deve ou não ser consumido. Ele é responsável também por definir o tempo de vida útil de outros produtos não alimentícios como os cosméticos, por exemplo. Atuando de forma pontual, a análise sensorial é uma importante ferramenta para definir o prazo para que determinado item mantenha suas características sensoriais asseguradas.

Os estudos de tempo de vida de um produto desenvolvidos pela pesquisa sensorial trabalham em fatores que causam alterações ao produto. A análise sensorial colaborará na definição, por exemplo, das condições de armazenamento, transporte e venda de variados itens. (mais…)

Do cheiro à embalagem a pesquisa sensorial na produção de cosméticosA análise sensorial exerce um papel imprescindível para a indústria dos cosméticos. Não existem outros instrumentos de pesquisa que sejam tão eficientes a ponto de substituir os sentidos humanos na avaliação da aceitação dos produtos de higiene e beleza.

As vantagens apresentadas pela pesquisa sensorial permitem identificar a presença ou ausência de diferenças sensoriais perceptíveis, assim como mensurar o quanto os avaliadores (consumidores) que participam da pesquisa gostam ou não de um determinado produto. A partir da análise sensorial é possível destacar algumas importantes características sensoriais de um produto e ainda identificar particularidades. (mais…)

10 curiosidades sobre o olfato

Importante sentido e um dos mais explorados pelo marketing sensorial, o olfato está relacionado à capacidade humana de sentir cheiro. É um sentido que está ligado também ao paladar, já que, sem ele é quase impossível diferenciar os sabores dos alimentos.

Diversas marcas têm usado fragrâncias exclusivas não só para atrair o cliente, mas também para criar um conceito sobre um produto ou serviço.

 (mais…)

O paladar sofre interferência de diversos sentidos

O paladar sofre interferência de diversos sentidos

Comer é uma atividade que não diz respeito somente ao paladar, como já vimos aqui no blog. O sabor que sentimos quando comemos é o resultado da interação de vários sentidos e, sendo assim, sofre diversas interferências por causa da temperatura, de sua cor ou cheiro, por exemplo.

A coloração influencia muito na percepção dos sabores dos alimentos, já que, a primeira avaliação que fazemos deles é, na maioria das vezes, visual. Existem cores que são consideradas mais vibrantes, como o vermelho e o laranja, que instigam o Paladar. Por outro lado, o azul  e marrom são exemplos de cores consideradas menos estimulantes. (mais…)

Maior quantidade de células na região olfatória da mulher pode justificar melhor desempenho

Maior quantidade de células na região olfatória da mulher pode justificar melhor desempenho

O primeiro sentido desenvolvido em um recém-nascido é o olfato, o sentido responsável por perceber aromas. Seu órgão principal é o nariz e ele possui uma estrutura única nos seres humanos. Porém, uma pesquisa realizada pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) mostrou que as mulheres têm uma capacidade olfativa superior à dos homens. Elas possuem uma capacidade maior de diferenciar aromas graças a características do cérebro.

Ao testarem as regiões cerebrais responsáveis pelo olfato, os estudiosos perceberam que essas eram mais ativadas na mulheres do que nos homens. A explicação é que as mulheres têm uma maior quantidade de células no bulbo olfatório, região cerebral ligada à detecção de cheiros, em relação aos homens. Essas células quando sentem um aroma conectam-se aos neurônios do bulbo olfatório que, por sua vez, acionam células cerebrais relacionadas à memória e interpretação consciente, por exemplo. (mais…)