Tag: consumidor

A escala hedônica estruturada é um método que analisa a preferência dos consumidores por determinados produtos por meio de uma avaliação que contém uma escala de respostas previamente estabelecida.

Constantemente usado em testes afetivos, de preferência e aceitação, este método permite julgar a qualidade do produto de acordo com as percepções do consumidor e suas afirmações.

Neste modelo de teste, os provadores são questionados sobre a sua preferência em determinadas amostras de produtos, seguindo uma escala de respostas já estabelecida com base em atributos gosta e desgosta. Dessa forma, as respostas são associadas a valores numéricos para serem analisadas estatisticamente. (mais…)

Na avaliação da aceitabilidade de um produto, a análise sensorial possui vários métodos hedônicos à sua disposição.

Um deles, de caráter quantitativo, é feito em ambiente não controlado, o chamado HUT (Home Use Test), também conhecido como Teste Com Uso Domiciliar.

Contrário ao CLT (Central LocationTests), que é feito em ambientes controlados e com a participação dos avaliadores durante um período de tempo de forma programada,o HUT é um teste domiciliar, feito na casa do consumidor como se fosse um consumo autêntico do dia a dia. (mais…)

Um dos grandes problemas no mercado de cosméticos é a perda da eficácia dos produtos, que pode acontecer devido a processos físico-químicos, microbiológicos ou toxicológicos.

A ineficiência do cosmético nesse processo pode causar danos ao consumidor, além de uma grande perda de confiabilidade. Dessa forma, os testes de eficácia durante a análise sensorial são fundamentais para entender as perdas de atributos nesses produtos.

Para se qualificar como eficaz, um produto precisa reunir uma série de qualidades positivas e alcançar resultados esperados. No mundo dos cosméticos existem propriedades relacionadas à eficácia que são naturalmente percebidas pelos usuários. A sensação de hidratação causada por cremes, por exemplo, é facilmente percebida por meio do tato e a visão. (mais…)

A textura dos alimentos diz muito sobre eles. Se uma bolacha que normalmente é crocante estiver meio murcha, pode ser um sinal de que ela está velha e talvez imprópria para o consumo.

Contudo, a textura não diz respeito somente ao tato. A audição também capta informações importantes sobre os alimentos quando são ingeridos.

Durante muito tempo, os fabricantes de alimentos têm focado suas pesquisas em atributos ligados à visão, paladar, olfato e tato. Embora a textura tenha aparecido dentro da avaliação destes atributos citados, seu estudo ficava sempre restrito às mesmas questões, como rigidez e mastigabilidade, deixando de lado o ruído sonoro que era gerado.

 (mais…)

Desprezado por boa parte dos empreendimentos, a audição consegue fazer toda a diferença na experiência de compra dos consumidores.

Ouvir uma boa música ao entrar em uma loja, pode despertar o desejo de compra do cliente, principalmente quando aliada a outras estratégias voltadas para a exploração dos sentidos.

Muitas vezes, marcas e lojas cometem erros pontuais na forma de lidar com a audição. Questões como, volume dos sons e escolha de um estilo musical, por exemplo, são erros constantes e fáceis de serem cometidos. Da mesma forma em que os sons podem criar um ambiente agradável, eles também podem criar situações negativas. É importante estudar a fundo o público alvo para garantir a conexão adequada ao cliente. (mais…)

Os sentidos humanos evocam memórias precisas, entretanto, é o olfato que remete às memórias mais emocionais. Por meio de os aromas e odores o cérebro consegue identificar experiências antigas, como um parque da infância, um brinquedo ou uma comida favorita. Por isso, os aromas exercem influência no estado de espírito das pessoas.

O aroma corresponde a uma parte considerável na decisão de compra dos consumidores. Por esse motivo a pesquisa sensorial trabalha constantemente na busca por soluções que envolvem os cheiros. (mais…)

Há o consenso de que as cores interferem diretamente nas compras por impulso, entretanto, a percepção da visão vai muito além disso. As formas, contrastes e luminosidades também estão ligadas ao sentido da visão e, por isso, devem ser trabalhadas em busca da melhor estratégia.

Formas geométricas podem atrair o consumidor de diferentes maneiras. Quando atreladas ao lado estético, as formas remetem a sensações que variam da harmonia à agressividade, da flexibilidade à estabilidade. A análise sensorial seria capaz de revelar todo o potencial a ser explorado a partir de produtos de diferentes formas. (mais…)

A lembrança de uma marca acontece de maneira determinante através das experiências sensoriais que ela proporciona. Quanto mais o consumidor tem contato a produtos e serviços por meio dos sentidos, maior será a chance dessas experiências ficarem registradas na memória, causando uma conexão entre cliente e marca.

Produzir experiências positivas ao consumidor através dos sentidos aumenta a familiaridade dele com a marca, criando uma identidade pela qual ele a reconhecerá. Som, cores, sabores e formas contribuem fortemente para que o consumidor estabeleça uma preferência e, quem sabe, fidelidade à marca.

Entretanto, é importante levar em consideração que cada caso é único e o comportamento dos consumidores depende de muitos fatores, que variam das questões sociais às fisiológicas. Em meio a tantos estímulos recebidos de todas as partes no dia a dia, o primeiro passo é fazer com que eles sejam percebidos, para então poder iniciar os seus objetivos. (mais…)

0

Estudar a percepção sensorial do consumidor de vários países é essencial para marcas que pretendem expandir seus negócios para além das fronteiras. A percepção é algo complexo e que envolve diversos aspectos a serem considerados como, por exemplo, fatores culturais e sociais.

As diversidades culturais são muito importantes nas relações de consumo e a indústria alimentícia é um grande exemplo disso. Ao comparar a forma como pessoas de diversos países se relacionam com os alimentos é possível observar diferenças consideráveis. (mais…)

0

A indústria têxtil há muito tempo valoriza o sentido da visão no desenvolvimento de seus produtos e ações de marketing. Da exposição na vitrine às propagandas na TV, os produtos são pensados para que a experiência visual atraia o consumidor com foco na estética do produto. Porém, será que esta é a única possibilidade a ser trabalhada por trás da intenção de compra de produtos têxtis?

Alguns estudos já mostram que os consumidores não se preocupam somente com a estética por trás dos produtos ligados ao vestuário, mas sim com o conforto causado por eles. Cada vez mais as decisões de compra se baseiam em outros sentidos e sensações. Por isso, a importância em valorizar outros sentidos. (mais…)